HOME SOBRE O BLOG COLABORADORES CONTATO ANUNCIE
Snoopy-Charlie-Brown-Peanuts-O-Filme02

Eu sou apaixonada por desenhos, contos de fadas e histórias em quadrinhos que lembram a minha infância. Eu era aquela que ficava no canto do recreio lendo revistinha e contando as horas para ir a banca. Tenho certeza que muitos de vocês também eram assim!

9

Depois do meu querido Bob Esponja, agora é a vez do Snoopy, do Charlie Brown, da Lucy e do Linus chegarem ao cinema como animação 3D! A história parece ser uma fofura: o beagle mais amado do mundo – e claro, piloto – embarca em sua maior missão até hoje, quando ele alcança o céu atrás de seu arqui-inimigo, o Barão Vermelho.

Da imaginação de Charles M. Schulz e dos criadores de A Era do Gelo, “Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, O Filme” vai provar que todo azarado tem seu dia de sorte.

A Fox Film do Brasil já divulgou o trailer, se liga:

O filme tem estreia prevista para janeiro de 2016. A gente espera feliz. :)

1031_434259579955418_1861463656_n

Posts relacionados:

3ab453037b1b5942c2bff1329c47da59

Eu sempre gostei de ficar sozinha. Desde pequena, minha mãe conta histórias de como era só colocar um desenho e me deixar sozinha que eu já estava feliz. Na adolescência, mesmo com amigos próximos, isso perdurou. Lembro de torcer pra minha mãe viajar e me deixar sozinha em casa. Sempre foi um momento que encarei de estar feliz comigo, sendo eu, sem máscaras, aproveitando para fazer as coisas que me dão prazer ou aquelas coisas que não dá pra fazer ao lado de alguém, como ver aquele filme ruim.

É estranho ver o quanto eu não me sinto em paz com a solidão hoje. Passei por inúmeros problemas nos últimos meses, mas não faz sentido, já se trata de algo que nunca me fez me sentir mal e é muito, muito simples. Hoje eu não consigo me sentir bem sozinha. Me dá pavor. A cabeça não para um segundo, pensa em tudo e em nada de útil ao mesmo tempo. Nem mesmo os meus programas preferidos funcionam e nem consigo ter clareza para ocupar a mente estudando alguma coisa. Estou tentando entender, porque isso está acontecendo comigo? O que eu faço para voltar ao meu estado normal?

Nunca fui de depender de alguém, quiçá para ficar ao meu lado me fazendo companhia. Não gosto dessa sensação, de querer paz e precisar pedir pra alguém estar ali para te dar uma pseudo paz. Na verdade não muda, é só paleativo, pra acalmar um pouco essa agonia e ansiedade que fica instalada no meu coração quando estou só.

Talvez seja a espera, estou esperando o tempo passar para me recuperar de tudo que passei. Odeio esperar e esperar sozinha costuma ser pior do que esperar com alguém do lado. O que eu estou esperando é justamente essa paz de espírito chegar. Ela vai vir, eu sei que ela vai, por experiência própria, tenho plena consciência de que o tempo cura tudo.

Posts relacionados:

603d248755280d7e1a828ffd5856eba3

Sempre gostei de viajar e tinha vontade de fazer intercâmbio. Por milhares de razões, a chance apareceu quando eu estava no meio da faculdade de jornalismo em São Paulo. Decidi ir para Israel por seis meses. Mas, por que Israel?

Sou judia, mas até pouco tempo atrás tinha poucas conexões com a religião e a cultura. Tinha visitado Israel outras duas vezes, e logo depois dos primeiros dias lá, eu me sentia em casa. É um sentimento inexplicável de conexão. E eu tinha saudade desse sentimento, de pertencer, de identificação.

israel1

Como falar hebraico? Quem vão ser meus roomates? Será que eu vou saber cozinhar? Essas e outras perguntas não me deixaram dormir antes de embarcar. Lá, morei nos dormitórios da Universidade Hebraica de Jerusalém com mais quatro pessoas de diferentes nacionalidades: França, Brasil e Israel. Foi incrível!

Fiz um curso de jornalismo em inglês que mudou o modo como eu enxergava minha profissão. Além disso, conheci como funciona o processo de vestibular e mestrado numa das melhores faculdades do mundo. Frequentava também aulas de hebraico diariamente e tenho orgulho de dizer que aprendi bastante, considerando que o alfabeto é outro!

israel44

Mas, uma das partes mais enriquecedoras foi o meu trabalho voluntário. Israel é um país que tem uma forte relação com a palavra nação e comunidade. Então, decidi dar aulas de inglês e matemática em uma escola para crianças com famílias desestruturadas em Jerusalém. Foi onde eu aprendi a valorizar tanta coisa! Elas me ensinaram mais hebraico que no curso, compartilhavam suas vidas comigo e me davam um carinho fora de série. Nunca vou esquecer!

israel22

Viajei por várias partes do país, me apaixonei pela cultura, conheci pessoas do mundo inteiro, me emocionei com tantas chegadas e partidas, cansei de ir ao aeroporto deixar pedacinhos meus com outras pessoas. Mas, intercâmbio é isso. É saber que agora você não está em um só lugar. E que tem um abraço em cada canto do planeta.

israel33

E fora isso, morar fora te dá um sentimento de liberdade indescritível. Você se desprende de tudo que conhece para viver o novo. Deixa seus preconceitos de lado ao comer aquela comida estranha, ao conversar em outra língua, ao convidar seu vizinho belga pra jantar. O intercâmbio é o que te permite sair da sua bolha. É uma experiência que te afeta todos os dias da sua vida.

israel55

A saudade aperta, o skype vive ligado e sempre dá vontade de pegar o primeiro avião de volta. Mas, o que foi marcante fica. Do primeiro caminho errado até o abraço mais apertado no fim da viagem. Intercâmbio é conhecer o mundo, é se conhecer.

foto (21)Fernando Semo é estudante de jornalismo. Deixou o coração em Israel e por aqui continua escrevendo no seu blog pessoal.

A Fernanda me escreveu um e-mail contando a sua história. Achei tão legal que virou post no blog! Fez alguma viagem bacana e também se interessa em colaborar? Me escreva: marcella@semcliche.com.br

Posts relacionados:

Layout por Gabi Barbosa + código por Tiago Gamaliel