HOME SOBRE O BLOG COLABORADORES CONTATO ANUNCIE
13346621_578676838970256_1224089388253614432_n

Há algumas semanas atrás, a Qcola entrou em contato e presenteou o meu apêzinho com alguns produtos lindos. Lindos MES-MO! Era o que eu queria colocar nos espaços, mas na correria do dia-a-dia, deixava para olhar e pesquisar os preços depois. E nunca olhava, afinal de contas, decorar a casa é uma missão eterna, né?

1. Para a sala de estar do segundo andar, chegou um adesivo de bufalo mara-vida, coloridão. Coloquei em cima do sofá, ao lado daquela parede onde já tinha o “good vibes only”, lembram? Ficou assim:

13707594_603843099793914_1450750271105250082_n

2. Também recebi um papel de parede de mandala muito cool, que eu ainda não apliquei no home office. Assim que colocar, mostro para vocês no Instagram. É esse:

(que tal? ê casinha zen, hehe)

papel-de-parede-mandalas

e 3. Para a entrada do apê, ao lado da porta, coloquei esse espelho decorativo de “OM” que também chegou. Fez a decoração de uma parede da sala de entrada que estava jogada, sabe?

13769559_1035951859792945_749911018024964528_n

Todos os produtos estão disponíveis no site da Qcola. Prepare o dedinho para fuçar bastante, pois são mais de 500 modelos de papéis de parede. Uow.

Obrigada, QCola! Ficou um sucesso no #meuprimeiroapartamento. ❤

escreva perfeito

Posts relacionados:

austin-plaine-kiefer-sutherland-rev2

Depois de esbarrar com ele em algum site de playlists prontas com os temas: “calma na alma”, “o coração é o norte”, “gratidão ao por do sol”, “coração são e mente sã”, a vida e a playlist nunca mais voltam a ser as mesmas.

As músicas não fazem nenhum milagre, se foi isso que você imaginou, mas são libertadoras e inspiradoras. É uma massagem doce na alma que já está bem ou que encontra-se enfurecida por qualquer motivo desnecessário.

sem_cliche_austin_plaine_01

O cantor Austin Plaine é desses talentos prodígios descobertos por acaso na universidade. Fazia alguns show na época, mas, por timidez, não gostava de cantar pra grandes plateias. De Minnesota para Nashville, lá ele gravou seu primeiro CD em 2013. Mas ficou conhecido depois que uma de suas músicas virou tema de comercial da Mastercard.

Austin-Plaine

Basta ouvir uma vez só o primeiro e, por enquanto, único álbum para ganhar nosso coração, na primeira música. As letras e as melodias são delicadas, tranquilas, animadas e gostosas de ouvir e sentir seja sem companhia ou rodeado de pessoas.

sem_cliche_austin_plaine_05

Comece ouvindo:

Uma #dicasemclichê boa para o final de semana. Romântico, né? heheh :)

escreva perfeito

Posts relacionados:

13438909_1030531063663486_4824693209912576356_n

“Amar implica depender, estar na mão da outra pessoa. Por isso, amar alguém que não nos transmite confiança é ser irresponsável para consigo mesmo.”

Poucos são os casais que vivem em concórdia, num relacionamento que crie condições para que ambos cresçam emocional e intelectualmente. Mas, porque existem alguns casais que vivem em harmonia, devemos nos empenhar para também fazermos parte dessa minoria privilegiada.
Hoje quero me dedicar a um aspecto essencial das boas relações amorosas que é o desenvolvimento da confiança recíproca.
Amar implica depender, estar na mão de outra pessoa. Ela tem, mais do que ninguém, o poder de nos fazer sofrer. Basta querer nos magoar que conseguirá isso, com uma simples palavra ou gesto. Se quiser nos fazer sentir insegurança, não terá problema algum.

13537544_1026245400758719_4244612390426962023_n

Fica mais do que evidente que, quando uma pessoa ama alguém que não se empenha em despertar a sensação de confiança e de lealdade, ela irá padecer muito. Irá se sentir permanentemente ameaçada, terá ciúme de tudo e de todos.
Amar alguém que não nos passa confiança é, pois, uma irresponsabilidade para consigo mesmo. É uma ousadia, uma ingenuidade e uma grande demonstração de imaturidade emocional – ou sinal de que se tem satisfação com o sofrimento.
Em geral, as pessoas se colocam nessa condição em virtude de terem se encantado com alguém que, de fato, não dá sinais de confiabilidade. Aceitam essa atitude egoísta do amado imaginando que seja uma fase, um período doloroso que irá passar com o tempo. Fazem tudo para demonstrar o seu amor, para cativar o outro e esperam que isso faça com que, finalmente, ele se renda, e também se entregue de corpo e alma à relação afetiva.

13428652_1022315917818334_8871352372145808587_n

Acaba se compondo uma espécie de desafio, em que aquele que não é confiável percebe que recebe mais atenções e carinho exatamente por agir dessa forma. Com isso se perpetua a situação e me parece bobagem achar que o futuro será diferente do presente. Afinal de contas, aquele que não se entrega ao amor, acaba sendo altamente recompensado por isso e não terá nenhuma tendência para alterar sua atitude.
Quando a “mágica” do encantamento amoroso não vem acompanhada da “mágica” da confiança, a pessoa está posta numa situação muito difícil, na qual o sofrimento e insegurança serão as emoções mais constantes. E essa “mágica” da confiança de onde ela vem? De vários fatores, sendo que o primeiro deles depende do comportamento da pessoa amada.
Não é possível confiarmos numa pessoa que mente, a não ser que queiramos nos iludir e tentemos achar desculpas para não perder o encantamento por ela.
Não é possível confiarmos em pessoas cujo comportamento não está de acordo com suas palavras e suas afirmações. Aliás, quando o discurso não combina com as atitudes, penso que devemos tomar essas últimas como expressão da verdadeira natureza da pessoa.
Não é possível confiarmos em pessoas que mudam de opinião com a mesma velocidade com que mudamos de roupa. É evidente que todos nós, ao longo dos anos, atualizamos nossos pontos de vista. Porém, acreditar em certos conceitos num dia – na frente de certas pessoas – e defender conceitos opostos no outro – diante de outras pessoas – significa que não se tem opinião firme sobre nada e que se quer apenas estar de bem com todo mundo. Amar uma pessoa assim é, do ponto de vista da autopreservação, uma temeridade.

13466495_1023851597664766_7642166491341177650_n

A capacidade de confiar depende também de como funciona o mundo interior daquele que ama e não apenas da forma de ser e de agir do amado. Não são raras as pessoas que não conseguem desenvolver a sensação de confiança em virtude de uma autoestima muito baixa. Desconfiam da capacidade que têm de despertar e conservar o amor da outra pessoa; se sentem inseguras, acham que a qualquer momento podem ser trocadas por criaturas mais atraentes e ricas de encantos. E, o que é mais grave, se sentem assim mesmo quando recebem sinais constantes, coerentes e persistentes de lealdade por parte da pessoa amada. Nesses casos, não há o que essa criatura possa fazer para atenuar o desconforto daquelas, cuja única saída é um sério mergulho interior em busca de resgatar a autoestima e a autoconfiança perdidas em algum lugar do passado.

13442530_1020087524707840_8696073624552000548_o

Finalmente, para uma pessoa desenvolver a capacidade de confiar é necessário que ela seja uma criatura confiável. Costumamos avaliar as outras pessoas tomando por base nossa própria maneira de ser. Se nos sabemos mentirosos, capazes de deslealdade e de desrespeito aos outros, como ter certeza de que as outras pessoas não farão o mesmo conosco?
Só aquele que tem firmeza interior, que tem confiança em si mesmo no sentido de respeitar as regras de conduta nas quais acredita, pode imaginar que existam pessoas em condições de agir da mesma forma.
Se a felicidade sentimental depende do estabelecimento da confiança recíproca, ela será, pois, um privilégio das pessoas íntegras e de caráter.

Esse texto é do Flavio Gikovate e eu acho que TODAS vocês tinham que ler. ❤

escreva perfeito

Posts relacionados:

Layout por Gabi Barbosa + código por Tiago Gamaliel