Assim, você pode identificar amizades tóxicas

Vocês já perceberam que conhecem alguém que aos seus 30 anos, não fez nada da sua vida? e o pior de tudo, não lhe interessa, está esperando sentado que algo aconteça.


Quando você escuta a sua vida dá vontade de gritar “deixa de estar lançando faltas para seus pais, deixa de apresentar uma queixa, toma as rédeas e a responsabilidade de sua vida, e comece a fazer algo”


Eu tenho um caso muito próximo e realmente ver uma situação assim chega até certo ponto a ser irritante e desconfortável, porque a pessoa vive “procurando trabalho”, culpando seus pais, se queixa de não ter dinheiro, se queixa literal de não ter nem para o seu shampoo. Não tem trabalho, porque não o procura, como não tem nada o que fazer demanda mais tempo aos seus amigos do que o necessário, em poucas palavras se mete na vida de todos para fazer a sua.


O triste este tipo de pessoas é que elas afastam os amigos, saem totalmente de seu círculo social, pois começam a não ter nada em comum, como o não fazem “nada” não são as pessoas que têm o tema de conversa mais do que estar reclamando, estão à espera que lhes resolvam a vida. O que me aconteceu com uma pessoa nesta situação chegou tanto ao limite que decidi colocar terra por meio… as últimas vezes que nos vimos ele me dizia: “diga-me alguma coisa…” como se tivesse que entretê-la.


A passei muito mal, fiquei pensando sobre a situação que vivia e analisando o comportamento desta pessoa. Decidi (demorou uns dias, já não vê-la, pouco a pouco me afastar e eu pensei na resposta que lhe ia dar quando eu perguntei porque ele tinha me afastado. “Não temos nada em comum, não se tenha preocupado com isso e, francamente, não tenho tempo de entreter, chegou a ser uma relação tóxica”.


Como identificar amizades tóxicas….


As passivo-agressivas
Para este tipo de pessoas nada lhes parece bem, nunca. Não tem a capacidade de dizer, de forma direta, mas que sempre anda com rodeios, indiretas ou insinuações.


As competitivas
Seja o que for, sempre vai querer estar por diante de ti. Se lhe contas que lhe deram uma oferta de trabalho única, ela te contará que tem algo ainda melhor; se você disser que algo dói, justo te responderá com que na noite anterior teve uma dor pior ou semelhante.


As dramáticas
Uma coisa é que os amigos se apoiam nos maus momentos, e outra muito diferente do que tenham que suportar sempre uma grande quantidade de dramas que, talvez, não podem resolver.


Estas amizades usam os outros como terapeutas, mas quase nunca se deixam ajudar. O tempo Todo descarregam seus medos e inseguranças, mas não são capazes de receber dicas e até se podem incomodar.


As amargadas
Sempre andam se queixando porque as coisas vão mal, mas também vêem algo de errado para a vida quando tudo parece que vai bem.


As manipulativas
Cuidado com o seu excesso de gentileza! As pessoas manipuladores costumam tirar proveito aquelas pessoas que preferem evitar confrontos, que fazem favores com facilidade e que poucas vezes dizem que não.


Não se esqueça da importância de se cercar de pessoas positivas!


Você gostou desta nota? Califícala

1 Estrela2 Stars3 Stars4 Estrelas5 Stars (9 votos, average: 4.11 out of 5)
Loading…

Assim, você pode comer de forma saudável durante as festas pátrias

Chega setembro e nossas ruas estão cheias de bandeiras tricolores, enquanto nos preparamos para comemorar as festas pátrias com amigos e familiares, com os quais partilhamos os nossos pratos favoritos.


A comida mexicana é, sem dúvida, uma das mais ricas do mundo. Mas é certo, que seus pratos mais característicos são muito gordurosos e ricos em calorias, e que, com o pretexto da celebração, os consumimos em excesso.


Apenas um prato de pozole tem 240 calorias e um chile em nogada entre 500 e 600 calorias[1], quando a recomendação energética para a população adulta é de 2.000 calorias por dia. Sabemos que é difícil resistirnos esses pratos que além regularmente acompanhados de água de jamaica ou horchata, uma cerveja ou tequila e se fecharmos com chave de ouro, um filhós ou churros açucarados.


A diferença para desfrutar de equilíbrio de um almoço ou jantar pátria está nos ingredientes e métodos de preparação. Por isso, compartilhamos algumas dicas que farão com que a sua reunião seja tão divertida como você planeja, mas muito mais saudável, dando atenção tanto no que vão comer, o que vão beber, já que as bebidas também são parte essencial da celebração.



  1. Substitui alguns ingredientes por suas versões mais leves. Por exemplo, você pode alterar as tortillas por torradas assadas, consumir carnes magras em seus guisados e optar por creme de baixo teor de gordura.

  2. Prepara seus pratos assados e cozidos, em vez dos capeados e frituras, que aumentam a gordura e as calorias. Você também pode incluir uma maior quantidade de vegetais na preparação.

  3. Prepara águas frescas de flor de jamaica, tamarindo e orchata de forma tradicional, usando os ingredientes naturais e endulzándolas com um substituto de açúcar.

  4. Mistura as bebidas alcoólicas com água mineral, refrigerantes e sucos baixos em calorias. Ou prefere aquelas que são tomadas isoladamente como tequila, o mezcal ou whisky. Se você optar por uma cerveja, opte pela que fornecem menos calorias. Apenas lembre-se que qualquer que seja a sua escolha, você deve consumir álcool com moderação.

  5. Se serve chá de panela, prepáralo com uma mistura de próprio e substituto de açúcar para desfrutar do seu sabor, sem todas as calorias.

Agora sim, prepare-se para desfrutar de suas bebidas e pratos favoritos sem se preocupar com as calorias e… Viva México!


[1] Pérez-Lizaur AB, Palácios B González, Castro Bezerra, Flores Galiza I. Sistema Mexicana de Alimentos Equivalentes. 4ª ed. México: Promoção de Nutrição e Saúde, A. C. de 2014.


Você gostou desta nota? Califícala

1 Estrela2 Stars3 Stars4 Estrelas5 Stars (2 votos, média: 4.50 out of 5)
Loading…

Assim foram hackeadas os jornalistas por parte do governo mexicano

O dia de ontem, foi divulgado uma notícia que chocou a sociedade mexicana. Nela, falava-se que o governo dedicou seus esforços em praticar espionagem, jornalistas e ativistas através de um software chamado Pegasus, o qual foi instalado em seus smartphones e dispositivos móveis.


Pegasus serve como microfone escondido para ouvir cada palavra que emitiu o proprietário do smartphone. Além disso, conta com a possibilidade de roubar todo o tipo de dados pessoais e o software não somente foi instalado em jornalistas e ativistas, mas também esteve presente em familiares.


Alguns dos afetados foram Carmen Aristegui, Mario Padrão, João Pardinas, Carlos Loret de Mola e Salvador Camarena, entre outros. A constante que têm em comum todos os jornalistas que lutam contra a corrupção e fungen em prol da liberdade de expressão, pelo que não surpreende que o governo gostaria de estar atento perante a crítica.


Segundo informou o jornal The New York Times, desde o ano de 2011, pelo menos três agências federais mexicanas gastaram quase 80 milhões de dólares em programas de espionagem de uma empresa de origem israelense chamada NSO Group. A companhia garantiu que a venda de software é a governos que destinem a espiar a criminosos ou terroristas; no caso do México, os traficantes de drogas que tenham violado o país durante muitos anos.


Antes dos rumores, o governo mexicano declarou o seguinte:


“Como qualquer regime democrático, realizamos atividades de inteligência para o combate ao crime organizado e de ameaças contra a segurança nacional, mas rejeitamos categoricamente que alguma de suas dependências realizar ações de fiscalização ou intervenção de comunicações de defensores de direitos humanos, jornalistas, ativistas anti-corrupção ou de qualquer outra pessoa, sem prévia autorização judicial.”


O governo mexicano, em vez de usar o software de espionagem em criminosos, decidiu implementá-lo em jornalistas, procurando especificamente informações sobre o caso dos 43 normalistas desaparecidos em Ayotzinapa e outros assuntos que requerem de grande pesquisa e que poderiam ser afetadas certas entidades e órgãos governamentais como a SEDENA, a PGR e CISEN.


Os jornalistas afirmaram ter recebido mensagens fictícios disfarçados com links aparentemente reais. Cada mensagem foi personalizado, de acordo com o contexto do jornalista e ativista, o governo usou recursos para enganar e torná-los vulneráveis.


Claro, as vítimas caíram, e automaticamente o software foi instalado em seus dispositivos para extrair toda a informação e levar a cabo a espionagem.


Os dados incluem contatos, mensagens, e-mails e calendários. E, o software também se apodera da câmera e do microfone sem que os utilizadores tenham conhecimento.

Assim é trabalhar com os irmãos

Jesse & Joy, que vão dar um concerto no dia 26 de maio, no Auditório Nacional, têm uma relação quase de co-dependência, mas vivem felizes no dia-a-dia sobre o palco. Eles não contam que tão de terror é trabalhar em família.



O que é o bem e o mal de trabalhar em família?


Joy: Jesse é como o meu marido de trabalho. Não somos dois desconhecidos que se juntaram para formar um grupo, mas nós crescemos juntos e desde crianças, não nos separamos.


Nós Nos conhecemos muito, então as boas isso de trabalhar em conjunto é muito bom e as ruins pode ser muito perigoso. Entre irmãos, sabemos onde está o botão vermelho de “não tocar”.


Quais são os botões vermelhos de cada um?


Joy: Às vezes, como em todas as relações, alguém acabar com a bobagem mais irrelevante.


Mas no meu caso, as coisas que mais odeio é que me estão apurando. Em chamba é complicado, porque eu tardo mais com o penteado, a maquiagem, o outfit. Em troca Jesse se banha, se penteia e já está pronto. Eu me tomo o meu tempo, nem tudo o que eu faço para a mera horas, mas se Jesse me aperta e me apurado, podemos chegar a brigar. De fato este é um dos motivos das brigas mais grandes que tivemos.


Como fazem quando alguém está passando por um mau momento?


Jesse: O que temos aprendido a lidar com o tempo, porque até nós somos vizinhos. Sabe quando você tem que dar apoio e quando tem que dar espaço.


O parentesco complicou-se que tomassem a decisão de trabalhar juntos?


Joy: Quando começamos a escrever, se deu de forma muito natural. Ele estava improvisando uma música com algum instrumento e me propôs a tentar fazer música juntos. A compusimos e abriu a caixa de pandora, em cada um, e começamos a escrever e escrever. Ao papai e a mamãe sorprendían da harmonia que havia entre nós.


Quando nossa casa gravadora nos encontrou, nem sequer nos passou pela cabeça a possibilidade de fazê-lo com mais alguém. A partir daí temos encontrado pessoas maravilhosas e talentosa, com que temos trabalhado, mas a verdade, ninguém senti a magia de quando trabalho com o meu irmão.


Existe concorrência?


Joy:Sim, mas não é má. Os dois procuramos surpreender-nos um ao outro, então nos leva ao nosso melhor limite para que ao compor uma canção nos coloque a pele rurais.


Quão difícil é dividir tarefas?


Joy: Cada um tem claro quais são as áreas fortes de cada um e o que cada um faz. Somos como os equipamentos desportivos, se um corre mais rápido, esse vai tocar em ir para a bola.


Como isso muda a convivência quando descem do palco e eles estão com a sua família?


Joy: A verdade, até planejamos férias juntos. Meu irmão, em seguida, organiza viagens com sua família e acaba me convidando. Quando fazemos viagens de descanso, não se fala nada de trabalho.


Você gostou desta nota? Califícala

1 Estrela2 Stars3 Stars4 Estrelas5 Stars (8 votos, average: 4.38 out of 5)
Loading…